Parto Documental Clínica Santa Helena - Florianópolis - SC

O Dia do Nascimento do Guto

Era noite já, o dia tinha sido longo, as crianças estavam dormindo e o silêncio na casa era prova disso. Eu e Dagi nos preparávamos para fazer o mesmo, foi então que Jonatas me avisou: “A Thuka começou a sentir mais contrações, estamos indo para clínica”. Fui encontrá-los na mesma hora.


No caminho, um turbilhão de pensamentos. Silêncio de novo. Eu estava dirigindo em direção a um nascimento. Por mais que havia feito isso diversas vezes antes desse dia, é sempre uma adrenalina única, um momento que assume importância nas minhas memórias e eu sabia que naquele dia não seria diferente.


Dirigia para fotografar e presenciar o nascimento do primeiro filho dos nossos amigos. Me passou feito flashes as fotos do noivado do Jonatas e da Thuani, os momentos que passamos e histórias que vivemos, viagens, o casamento deles, encontros, conversas, saídas e agora eu estava, no silêncio, dirigindo em direção ao Aquele Dia Do Nascimento do já amado Guto, uma família tão querida para nós. Que honra!


Na maternidade nesses dias não há como esquecer que estamos em pandemia. Proteções e procedimentos ainda mais cuidadosos. Na sala de parto só quem precisa estar, e a família que aguarda para conhecer o netinho, o priminho, o sobrinho... precisa fazer isso do lado de fora. Eles nos disseram que juntos estavam conectados com a família que lá dentro nascia, e de lá de dentro, nós sabíamos: eles estavam conosco.


Por isso, estar presente ali na sala, naquele momento foi uma responsabilidade enorme, e enquanto documentava sabia que aqueles registros seriam importantes para os papais e o bebê no futuro, mas também para a família que ansiosos aguardavam para saber mais detalhes e conhecer o Guto.


Então, era hora: o parto. Os primeiros momentos necessitaram cuidado e atenção para que logo Guto estivesse juntinho de Thuani e Jonatas, sentindo o calor do corpo da mamãe e o carinho da mão do papai. Rápido, intenso e emocionante, assim foi o parto do Guto.


Ao finalizar o tempo lá dentro, me despedi da família, desfazer-me de todos os equipamentos e tomar todos os cuidados para poder sair da maternidade, encontrei todos que estavam esperando lá fora e compartilhei com eles fotos e informações de como havia sido o nascimento. Me senti como um mensageiro. Vi ali, na prática, o poder que a fotografia tem de contar histórias, de guardar memórias e documentar a vida. Me senti grato e feliz por poder ser usado para isso.


Então, a volta pra casa. Dirigir novamente. Agora, já conhecendo o rostinho e as bochechas lindas do Guto. Agora, meus amigos são papais mesmo! Meu dever por hora estava cumprido.


Chego em casa, silêncio. As crianças seguem dormindo, Dagi cochilando no sofá. Que noite. Logo mais é dia. Lembro de Jonatas e Thuani uma última vez antes de dormir, imagino o quanto se passa em seus corações naquele instante e o tamanho do amor que está a crescer neles. Isso não tem preço.


Saúde, Guto! Parabéns, meus queridos. Esse dia com certeza será pra sempre guardado em nossos corações, e agora também é um Aquele Dia Pra Sempre. Agradeço de coração pela confiança de viver ele com vocês!


Com carinho,

Joni Pereira